Curtas (Short ones)

“Quem não gosta de samba, bom sujeito não é. É ruim da cabeça, ou doente do pé.” Mesmo sem conhecer o samba de Dorival Caymmi foi essa a jutificativa que os jogadores da seleção holandesa deram ao se verem em várias páginas da internet e jornais em fotos delicadas com algumas brasileiras em uma boate do Rio de Janeiro. E para demonstrar a maneira holandesa de pensar, uma das esposas disse, ao ver as fotos, que seu marido estava somente se divertindo e que ela também faz o mesmo.
(“If you don’t like samba, you can’t be a good person. Or you have a problem in your head or a problem in your feet.” Even without knowing the samba from Dorival Caymmi this was the excuse that the football players of the Dutch team gave when they saw themselves around the world in compromising photos spread on internet and newspapers while dancing with some Brazilian girls in a nightclub in Rio de Janeiro. To demonstrate the Dutch way of thinking, one of the spouses said simply that her husband was having fun and she does the same.)

—–

Ao andar em Amsterdam, olhe de vez em quando para o alto, pois pode chover australiano. Nestes dias saiu o veredito de culpa para um australiano que, cheio de maconha, se atirou de uma janela para a rua e caiu em cima de um turista brasileiro. A situação seria cômica se não fosse trágica. A vítima quebrou uma vértebra do pescoço e ficou paraplégica. O australiano não sofreu nada, mas pegou três meses de cadeia e terá que pagar uma indenização de alguns milhares de euros para o brasileiro.
(When walking in Amsterdam look up every now and then, because it can rain Australian. This week was pronounced the final verdict for an Australian that, with the head full of canabis sativa, jumped through a window and fall in the head of a Brazilian tourist. The situation would be funny if it was not tragic. The victim had a spine injury and is condemned to a wheelchair the rest of his life. The Australian got out safe, but had to spent three months in jail and pay a thousands euros compensation to the Brazilian.)

—–

Um mistério adormecido por 65 anos foi revelado pela carta de confissão da sra. Atie Ridder-Visser, ao prefeito de Leiden. A sra. Rider-Visser, hoje com 97 anos, foi membro da resistência holandesa e, em 1946, assassinou Felix Guljé, no vestíbulo da sua casa, por considerá-lo culpado de contribuir com os nazistas que então ocupavam a Holanda. Posteriormente foi descoberto que Guljé era inocente e que até contribuía para salvar pessoas das mãos dos nazistas. Segundo o prefeito de Leiden, a sra. Ridder-Visser, apesar de sua idade avançada, ainda pode ser julgada e condenada pelo crime perpetrado há 65 anos atrás.
(A mystery, sleeping for 65 years, was revealed by the confession letter that Mrs. Atie Ridder-Visser sent to the Mayor of Leiden. Mrs. Ridder-Visser, today with 97 years, was a member of the Dutch resistance and, in 1946, killed Feliz Guljé, in the hallway of his own house, for considering him guilty of contribution to the nazis, that occupied The Netherlands. Later it was discovered that Guljé was innocent and even helped save some people from the Nazi’s hands. According to the Mayor of Leiden Mrs. Ridder-Visser, notwithstanding her advanced age, can still be judged and condemned by the crime she did 65 years ago.)

—–

Peladão, peladão, pelas ruas de Amsterdão. A Corrida Nua Anual de Bicicletas aconteceu este sábado em Amsterdam. Milhares de ciclistas percorreram as ruas da cidade, que já é louca por si só, completamente nus em um ato de protesto às agressões ambientais. Considerando as fotos que vi não sei se eles não estariam contribuindo para essas agressões.
Naked, naked, around the streets of Amsterdam. The Annual Naked Bike Race happened this Saturday in Amsterdam. Thousands cyclists ride their bikes in Amsterdam – that is an already crazy enough city – completely naked as a protest against environmental aggression. Well, considering the photos I saw I’m not sure if they are not helping these aggression.)

E é só,
(And that’s all, folks)
Nanda

Advertisements
Posted in curiosidades, fatos | 1 Comment

Os britânicos e as cervejas (The British and the beers)

O que os britânicos não fazem por uma cerveja? Em virtude de uma falta no sistema de computadores, uma rede de supermercados britânica anunciou erradamente que três grades de cerveja estavam sendo vendidas a 11 libras, em vez de 11 libras de desconto na compra das cervejas… um pequeno mal entendido que durou somente duas horas para ser detectado e resolvido.
(What the British do for a beer? A mistake in the computer system of a British supermarket chain announced wrongly that they were selling three crates of beer for 11 pounds, instead of 11 pounds discount for the crates… a small misunderstanding that took only two hours to be detected and solved.)

Mas duas horas foi o que milhares de britânicos precisaram para causar o maior tumulto e as mais estranhas artimanhas para adquirir as cervejas mais barato. Via Facebook e Twitter os consumidores souberam da notícia e geraram o maior caos nos estacionamentos e nas filiais dos supermercados em busca do líquido precioso. Alguns chegaram até a voltar para casa, trocar de roupa e retornar para comprar mais grades!
(But two hours was what thousands of British needed to provoke to biggest riot and to create the most strange tricks to get the cheap beers. Via Facebook and Twitter the news spread and lots of consumers generate the biggest chaos in parking places and in the supermarket stores to get the cheap precious liquid. Some of them even return home to change clothes and get back to buy some more crates!)

Pois é, britânicos e cervejas, uma história de amor eterno… e tumultuada! (That’s it! British and beers, an eternal love story … and a tumultuous one!)

Nanda

Posted in Uncategorized | Leave a comment

Bem vindo à Farmvida (Welcome to Farmlife)

Redes sociais na internet são divertidas, facilitam que se criem amigos (ou inimigos) e se tornam inpiração para conversas e piadas. Vou explicar. (Social networks are funny, help to make friends (or enemies) and are a source of inspiration for talks and jokes. I will explain.)

Tenho um grupo de amigos que, na vida virtual, possuem fazendas, assim como eu, em Farmville. Para os que (ainda) não conhecem, Farmville é um jogo em que as pessoas possuem fazendas, plantam diversos produtos, criam animais e decoram com construções e árvores. Da produção ganha-se moedas e sobe-se de nível. As plantações variam no seu tempo de colheita, de horas a dias. (I have a group of friends that, in the virtual life, have their farms, like me, in Farmville. For the ones that (still) don’t know it, Farmville is a game where people have a farm, produce many crops, create anuimals and decorate the farm with buildings and trees. From the production we get money and level up. The crops vary in their harvest time going from hours to days.)

Um desses amigos é fascinado por jogos e números. Farmville tornou-se então um dos seus passatempos favoritos. (One of these friends is fascinated by games and numbers. Farmville has been so far one of his favorites.)

No final de semana passada ele e sua esposa, que vou chamar aqui, respectivamente, de Ivo e Mariana, foram às compras no mundo real. O mercado de frutas e vegetais foi o paraíso para Ivo. De repente, Mariana o vê colocando frutas na sacola de acordo com o tempo de colheita mais rápido. E algumas outras haviam sido recusados por já terem sido “masterizadas”, ou seja, já não havia mais necessidade urgente de plantá-las para atingir o maior nível no jogo. Infelizmente o vendedor não aceitava Farmcoins ou Farmcash como pagamento! (Last weekend he and his wife, that I’ll call here, respectively, Ivo and Mariana, went to shopping in real life. The fruit and vegetables market was a paradise for Ivo. Suddenly Mariana sees him placing fruits in their shopping bag according to the quickest harvest time. And some of them were dicharged because they have been already “mastered”, that means no real or urgent necessity to plant them to get a higher level in the game. Unfortunately the salesman didn’t accept Farmcoins or Farmcash as payment!)

A propósito, não quer se juntar a nós em Farmville ? 😉 (By the way, wouldn’t you like to join us at Farmville? 😉 )

Nanda

Posted in curiosidades | 2 Comments

Muitos anos depois… (many years later…)

Hoje li uma notícia no jornal dizendo que Portugal descobriu um tesouro de bilhões nos porões da Casa da Moeda Nacional. Trata-se de vários tijolos de ouro datando do tempo dos descobrimentos, oriundo da América do Sul, principalmente do Brasil.

(I read today in the newspaper that Portugal discovered a billionaire treasure in the basement of the National Mint. It’s a lot of golden tablets from the time of the great discoveries probably from South American, mainly Brazil, origin.) 

À beira de uma calamidade financeira, Portugal é salva muitos anos depois por tesouros extraídos provavelmente de Minas Gerais. Lamentavelmente muitos brasileiros são mau tratados em Portugal e o país luso contribui muito pouco ou quase nada para a ajuda ao desenvolvimento dos países em desenvolvimento. Bem que, em uma hora como esta, Portugal poderia saldar algumas dívidas colonialistas.

(Facing a financial collapse, Portugal is saved many years later for a treasure probably extracted from Minas Gerais. Unfortunately many Brazilians are not well treated in Portugal  and the luso country helps minimally (or nothing) with the cooperation to development. It would be nice, in a moment like this, to pay a little bit back.)

Nanda

Posted in fatos | 2 Comments

Nas trilhas da memória (From the memory lane)

Recentemente descobri e comprei a versão digitalizada de Cosmos, do falecido Carl Sagan. Eu era fascinada pela série quando a vi pela primeira vez no Brasil, há uns 20 anos atrás. O set que comprei é especial para colecionadores e vem com atualizações (10 anos após) comentadas pelo próprio Sagan. Já assisti a dois capítulos e continuei fascinada. Mas, o que chamou a minha atenção foi o comentário inicial da apresentadora. Introduzindo a série ela fala que quando Cosmos foi lançada ainda não existia a internet e a rede mundial (www). Isso há somente 20 anos atrás!

(Recently I found and bought the DVD version of Cosmos, from the late Carl Sagan. I was fascinated by the show when I saw it for the first time on TV in Brazil, around 20 years ago. The box I bought is a Collector’s item and comes with updated information (10 years after the original) given by Sagan himself. I’ve seen two chapters so far and I’m still fascinated by it. What has called my attention though was the initial words of the presentatrice. Introducing the show she says that when Cosmos was aired the internet and the www didn’t exist. And this was only 20 years ago!)

Estou lendo O Sol Também se Levanta de Hemingway, numa publicação, em inglês, de 1949 (o original é de 1926). Meu livro, já amarelado e com as páginas caindo, pertencia à minha avó paterna, Vovó Gracinha. Como professora de inglês ela costumava anotar no rodapé das páginas sinônimos ou a tradução de palavras que ela porventura desconhecesse. Para os que não sabem, foi a minha avó quem me ensinou a grande maioria do inglês que falo hoje, desde os 8 ou 9 anos de idade. Por isso, acho muito interessante observar as palavras que a minha avó desconhecia, algumas delas tão óbvias para mim, hoje em dia. Uma dessas palavras marcadas por ela foi “rucksack” (mochila). Interessante foi observar que, em 1949, a minha avó ( e talvez muitas outras pessoas) desconhecia a palavra “mochila”. Em sua descrição de “rucksack” ela escreve (em inglês): “uma bolsa chata, apoiada nas costas por tiras que passam pelos ombros”.

(I’m reading The Sun Also Rises, from Hemingway, in an English publication from 1949 (the original is from 1926). My book, with yellow and falling pages, was from my grandmother from my father’s side, Gramma Gracinha. As an English teacher she used to take note at the foot of the page  of the meaning of the words she didn’t know. For the ones who don’t know my grandmother taught me (almost) all English I know since my 8, 9 years of age. This way, I always love to observe the words my gramma didn’t know, some of them quite obvious to me by now. One of the words she underlined was “rucksack”.  Interesting was to note that, in 1949, my grandmother (and maybe many others) didn’t know what a rucksack was. She wrote the meaning of it as: “a loose flat bag supported on the back by straps over the shoulders”.)

Por essas e outras é que gosto demais de vagar pelas trilhas da memória, através de fotos, livros, músicas, filmes e até mesmo amigos.

(That’s the reason why I like to wander at the memory lane through photos, books, music, films and even friends.)

Até a próxima, (Till next time)

Nanda

Posted in Uncategorized | Leave a comment

Vinhos e roscas (Wine and cork)

Os vinhos sempre foram uma das minhas paixões. Nos meus tempos de Brasil tomávamos vinhos em ocasiões especiais e, vez ou outra, aos sábados no “Terraço’s Bar”, terraço da minha casa onde sempre se reuniam amigos para uma rodada de cerveja e conversa. Nessa época, o preferido era o rosé ou o branco, por causa da temperatura quase desértica do nordeste do Brasil.

(Wine are one of my passions. During my life in Brazil we used to drink wine on special ocasions and, every now and then, on Saturdays at “Terraço’s Bar”, the terrace from my house where friends got together for beers and a good chat. Then a rosé or a white wine were the preference because of the almost desertic temperature at the Northeast of Brazil.)

Depois da minha travessia transatlântica para os países baixos, meu paladar se apurou e meu lado virginiano se acentuou na crítica da qualidade desse suco alcoólico de uvas. Dou preferência aos vinhos oriundos da Itália, Portugal e Chile, em primeiro lugar, e alguns da Alemanha, África do Sul e Brasil. Para não decepcionar os gourmets abro algumas pouquíssimas exceções aos franceses e, como aventura, tento os australianos, gregos, biológicos e outros similares (ou seja, sem ofensas, com poucas tradições ou inovadores). Por questões de orgulho brasileiro prefiro evitar os argentinos, mas confesso que também há bons vinhos no país vizinho.

(After my transatlantic crossing to the lowlands my taste has improved and my Virgo side was also stressed on my reviews on the quality of this alcoholic grape juice. My first choice goes to Italian, Portuguese and Chilean wines, and after those, some from Germany,  South Africa and Brazil.  To not disappoint the gourmets I open a little exception to the French ones and, as adventure, I try the Australians, Greek, biological and similar ones (I mean, without offense, with low tradition or innovative). My Brazilian pride tells me to avoid the Argentinian ones, though I must recognize that there are good wines in the neighbor country.) 

O que não consigo tolerar entretanto são algumas “novidades” do mercado, como vinho em caixas, roscas artificiais e tampas de girar (sem roscas). Eu posso muito bem compreender que essas inovações tornam o vinho acessível e atendem aos buracos no mercado de rolhas, mas para mim o vinho é uma tradição sem lugar para modernismos.

(What I can’t tolerate though are some market “news”, like wine in boxes, artificial corks and twist caps (without corks). I can understand that these innovations make the wine an accessible drink and also covers the gap in the cork market, but for me wine is tradition and no-place for modernism.)

A mais recente “aberração” que presenciei foi há poucos minutos atrás: um Prosecco com tampa igual às de cerveja!!! Já não quero saber onde vão parar esses insultos ao vinho. Enquanto essas novidades são limitadas e escassas, escrevo este artigo com uma taça de Gewuztraminer alemão, levemente doce, característico dessa uva, e suave, mantido na garrafa com uma rolha natural. Excelente para uma tarde ensolarada de primavera.  

(The newest aberration I could see some minutes ago: a Prosecco with a sort of beer cap!!!! I don’t wanna know where all these insults to the wine are leading to. In the meantime, while these “newties” are limited and rare, I write this article with a glass of German Gewuztraminer, slightly sweet, a characteristic of this grape, and light, kept in the bottle with a natural cork.  Excelent for a sunny spring afternoon.)

Nanda

Posted in curiosidades | 2 Comments

Chá explosivo e outras notícias interessantes (Explosive tea and other interesting news)

Esta semana três notícias me chamaram a atenção e aumentaram a minha certeza de que aqui na Holanda  – assim como em Minas e no Texas – coisas estranhas acontecem. (This week three articles in the enws called my attention and made me believe more and more that here in The Netherlands – as well as in Texas and Minas – many strange things can happen.)

Toilete sustentável – como experimento para poupar água, foi instalado num universidade na Holanda um toilete sustentável, com duas saídas: uma para xixi e outra para obras maiores. O problema é que para a coisa funcionar a pessoa tem que sentar bem atrás no toilete quando for utilizá-lo para uma “obra” maior, caso contrário o serviço entra pelo cano menor destinado à urina, bloqueando-o. Para desentupir é necessário uma quantidade maior de água, o que torna o toilete sustentável completamente insustentável. Uma das soluções oferecidas pelos geradores da idéia é colocar nos banheiros instruções detalhadas para os diferentes “serviços”.

(Sustainable wc – as an experiment to save water it was installed in a University an experimental sustainable toilet with two different exits: one for pee and the other one for the “big job”. The problem is that for the thing to work as it should be the person has to sit down all the way back in the toilet when doing the “big job”, otherwise the “service” goes down in the small pipe destined to the urine, blocking it completely. To unblock a huge amount of water is necessary, changing the sustainable wc into an unsustainable one. The creators of the idea suggested that the toilets should have completely instructions for the different “jobs”. )

 Chá explosivo – enquanto isso, em um pacato depósito dos correios em uma cidade da Holanda, um barulho sibilante vem de uma das caixas oriunda do Brasil. Após alguns minutos uma explosão é ouvida. Bombeiros e polícia chegam ao local para descobrir que o pacote suspeito continha pacotes de chá. Como eles explodiram ainda é uma interrogação. Será que estão produzindo chá de pólvora no Brasil?

(Explosive tea – meanwhile, in a quiet post office storage somewhere in Holland, a strange sound comes out from one of the boxes that came from Brazil. Some minutes later an explosion is heard. Police and firefighters are called only to discover that the suspect box contained packages of tea. Why the explosio happened is still a question mark. Is it possible taht they are producing gun powder tea in Brazil?)  

Cerveja perigosa – em Steenwijk, uma cidade no norte da Holanda, uma funcionária do supermercado Albert Heijn feriu-se gravemente ao carregar uma caixa de cerveja vazia. A pessoa que deixou a grade no depósito de retorno havia implantado lâminas cortantes na parte superior das alças da grade. Será que essa pessoa insana faz parte de algum grupo terrorista anti-alcoolismo?

(Dangerous beer – in Steenwijk, a city in the north of The Netherlands, a worker from the supermarkt Albert Heijn was seriously injured when carrying a beer crate. the person who has left the crate back in the return deposit implanted blades inside the holders of the crate. Is this insane person a member of a terrorist anti-alcohol group?)

Até a próxima, (See you next time)

Nanda

Posted in curiosidades | Leave a comment

E o Oscar vai para… (And the Oscar goes to…)

A cerimônia de entrega dos Oscars é um espetáculo que eu gosto de assistir sempre que posso, ou seja, quando alguma estação de TV aqui na Holanda transmite. Eu lembro que costumava sempre assistir ao Oscar com a minha tia, no Brasil, e fazíamos disso um agradável momento. Preparávamos tira-gostos e bebidas e escolhíamos nossos filmes favoritos. Aquilo se transformava em uma noite mágica e sempre esperada com ansiedade. 

(The Oscar ceremony is a show I like to seen anytime I can, i.e., when some Dutch TV channel broadcasts it. I remember that I used to see it with my aunt, in Brasil, and we always made it a wonderful occasion. We prepared snacks and drinks and we chose our favorite movies. That was a magic night and always waited with anxiety.)    

Por causa dessas agradáveis lembranças, e também pelo fato de gostar muito de cinema, eu costumo manter a tradição de assistir ao Oscar. E assim fiz. Ontem me preparei psicologicamente para assistir à cerimônia. Aqui na Holanda, com a  diferença de fuso horário, o Oscar acontece das 02:30 às 05:30 da manhã.   

(Because of these agreeable memories, and also the fact that I love cinema, I like to keep the tradition of watching the Oscar. And so I did. Yesterday I prepared myself psychologically to watch the show. Here in The Netherlands with a different timetable the Oscar is broadcasted from 02:30 till 05:30 AM.)

Coloquei o despertador e comecei a ver o show, as entregas dos primeiros prêmios, a exibição das trilhas sonoras candidatas, a presença de Oprah Winfrey e a homenagem aos artistas, produtores, escritores, falecidos no ano anterior. Veio o intervalo e meu olho piscou. Acordei com um coral de garotos cantando algumas músicas de filmes antigos e … final do show. 

(I set up my alarm clock and begun to watch the show, the first Oscars that were given, the exhibition of the nominated songs, the presence of Oprah Winfrey and the homage to the artists, producers, writers, that died the year before. The interval came and my eyes blinked. I woke up with a young kids coral singing some old films music and… end of the show.)

Dormi ou eles esqueceram de transmitir a entrega dos principais prêmios? É claro que a primeira opcão é a verdadeira e depois de tanto sacrifício para ficar acordada, o Oscar, afinal de contas foi para quem???  

(Did I sleep or they forgot to show the main Oscars? Of course the first option is the real one and after so much sacrifice to keep wake, the Oscar, by the way, went to whom???)

Posted in Uncategorized | Leave a comment

O maior fã de Ronaldo (The biggest fan of Ronaldo)

A recente decisão de Ronaldo “Fenômeno” encerrar sua carreira futebolística causou alguma comoção no meio desportivo, principalmente aqui na Holanda, onde ele iniciou sua carreira de fama internacional no PSV. (The recent decision of Ronaldo “Fenômeno” to finish his football carreer provoked some comotion among the sport world, specially here in The Netherlands, where he begun his international carreer playing for the PSV.)

Que algumas pessoas tenham ficado tristes com essa notícia é justificável, pois afinal de contas é um ídolo que deixa saudades. Mas também não precisamos chegar a extremos. No momento em que Ronaldo anunciava o fim da sua carreira, o periquito do casal de Graaf, de sete anos e de nome Ronaldo, teve um xilique e faleceu.  Vai ser fã assim lá … na Holanda. (The fact that some people were sad with these news is justifiable. After all is an idol that will be missed. But there are limits for the sadness. At the moment that Ronaldo was on TV telling the world that he was putting an end to his career, the 7-years old parakeet  of the family De Graaf, named Ronaldo, had a stroke and died. A fan like this … only in The Netherlands!)

Posted in curiosidades | Leave a comment

Só na Holanda … (Only in The Netherlands…)

Meu pai costumava dizer que coisas estranhas só aconteciam em dois lugares: Minas Gerais, no Brasil, ou Texas, nos EUA. Pois a Holanda deveria ser incluída nesse grupo.

(My father used to say that strange things only happen in two places: Minas Gerais, in Brazil, or Texas, in the USA. I think The Netherlands should be included in this group.)

Aqui existe uma cidade chamada Poortugaal. Alguns moradores andaram reclamando que suas correspondências estão dando uma volta um pouco longa para chegar até suas casas. Elas estão indo literalmente a Portugal antes de chegarem a seu destino final, ou seja, Poortugaal.

(Here there is a city called Poortugaal. Some of its inhabitants are complaining that their mail is taking a too long travel to arrive at their homes. They are literally going to Portugal before arriving at their last destination, Poortugaal.)

Eu fico imaginando se a correspondência destinada a Nova Iorque, no Maranhão, também estará dando uma volta até a metrópole norte-americana !!!

(I wonder now if the mail sent to Nova Iorque, in Maranhão, Brazil, is also travelling first to the north-American metropolis!!!)

Posted in curiosidades | Leave a comment