Invasão laranja (Orange Invasion)

Amanhã a Holanda deixa de ter uma rainha para ter um rei. O último Dia da Rainha será duplamente comemorado. E intensamente… uma nuvem laranja se espalhou pelo país contaminando tudo: camisas, bandeiras, buttons, revistas, comida, batatas fritas, bebidas, doces….

(Tomorrow The Netherlands will stop to be a Queen’s land to be a King’s land. the last Queen’s Day will be double celebrated. And intensively… an oranje cloud has spread itself through the whole country contaminating everything: T-shirts, flags, buttons, magazines, food, fries, drinks, cakes…)

null

E não podia escapar o azul e branco da bandeira argentina por causa da futura “rainha”, Máxima, esposa do futuro Rei …

(And of course they could not miss the blue and white of the Argentinian flag in honor of the new “Queen”, Máxima, wife of the future King…)

A invasão laranja deve permanecer até as altas horas da noite de amanhã quando as cerimônias oficiais de transição do trono terminarem. Até lá … tome (e coma) laranja!

(The orange invasion must stay till late tomorrow night when the official cerimonies for the throne transition will finish. Till there ….drink (and eat) oranje!)

Posted in Uncategorized | Leave a comment

Londres 20-12 (London 20-12)

E as Olimpíadas terminaram. O Brasil conseguiu um total de 17 medalhas, um número bem maior que das olimpíadas anteriores, mas ainda bem menor do que um país “gigante pela própria natureza” poderia conquistar.

(And the Olimpic Games are over. Brasil got a total of 17 medals, a higher number than the previous games, but still lower for what would be desired from a country that is so big.)

Das 4 medalhas de ouro engatilhadas no último final de semana conseguimos apenas 1. No boxe, uma surpresa, perdemos por uma simples penalidade. No futebol masculino, pela própria impáfia de seus jogadores pré-estrelas. Ignoraram as estatísticas e confiaram na constelação verde-amarela.

(From the 4 “trigged” golden medals in the last weekend we managed to get only 1. In boxing, a surprise, and we lost for penalties only. The man’s football lost because of their own pre-stars feelings. They have ignored the statistics and trusted in the yellow and green constellation.)

O volley feminino ressurgiu como uma fênix e provou que é possível superar obstáculos e, com determinação e vontade, conquistar a medalha maior.

(Women’s volleyball re-surfaced as a phoenix and showed that it is possible to overcome obstacles and, with determination and will, conquer the big medal.)

Mas foi com esse mesmo ímpeto que a Rússia nos tirou o quase garantido ouro no volleyball masculino. Sob o comando sereno de Vladimir Alekno, os jogadores russos, semi-derrotados, repetiram o que haviam feito com os norte americanos e viraram o jogo em 3 a 2.

(And with this same impetus Russia got from us the almost guaranteed gold in man’s volleyball. Under the command serene of Vladimir Alekno, the russian players, half-defeated, repeated the same thing they have done previously with the north americans and changed the game in their favor to 3-2.)

O feito, embora surpreendente, não foi de todo inesperado. Vladimir Alekno ressuscitou o volleyball russo conquistando duas medalhas de ouro em campeonatos internacionais em 2011. Na Liga Mundial, o treinador russo inclusive criticou Bernardinho por ter colocado em campo um time reserva para jogar (e perder) contra a Rússia. Eles chegaram a discutir em quadra e ao final do jogo Alekno disse: “Gostaria de dividir o significado deste jogo em dois. Primeiro, o resultado final. Segundo, o valor do esporte. Não quero nunca que meus jogadores pensem que algumas partidas são mais importantes do que outras. Para mim, você tem de querer ganhar sempre, não importa o jogo que é”. Sábias palavras que deveriam ter se aprofundado nos ouvidos canarinhos.

(The happening, though amazing, was not completely unexpected. Vladimir Alekno had ressurected the russian volleyball conquering two golden medals in international championships in 2011. In the World League, the russian coach even criticized Bernardinho for using the reserve team to play (and loose) against Russia. They argued in the field and at the end of the game Alekno said: “I would like to divide the meaning of this game in two. First, the final result. Secondly, the value of the sport. I do not want that my players ever think that a game is more important than other. For me, you have to always win, it does not matter which game.” Wise words that should have found their space in the canarian ears.)

Perguntado em entrevista sobre a possibilidade de repetir os sucessos de 2011 nas Olimpiadas, Alekno olhou para cima dizendo que Deus é quem saberia. Até nisso a Rússia mudou. E foi talvez Deus quem o inspirou a usar uma tática suicida no terceiro set, mudando completamente o time e seus jogadores de posição.

(Asked on an interview about the possibility of repeating the same successes from 2011 in the Olimpic Games, Alekno looked up and said that only God would know. Russia has changed even on that. And it was maybe God that inspired him to use a suicidal tactic in the third set, changing the team and the position of their players completely.)

Se de um lado Bernardinho se desesperava,
(If from one side Bernardinho was getting desperated, )

por outro, Alekno orquestrava o seu time com calma.
(on the other side, Alekno was quietly orchestrating his team.)

E ao final, o cordeiro venceu o leão…
(And at the end the lamb beated the lion…)

… ou seria o contrário?
(Or was it the contrary?)

Posted in fatos | Leave a comment

Um grande homem se vai… (A great man is gone…)

Acabei de receber a notícia que meu amigo Sergio Bonelli faleceu. Falo amigo porque assim me sinto em relação a ele. Eu o vi apenas algumas vezes mas nesse pouco tempo muitas histórias foram trocadas, muitas risadas foram dadas e muitas lembranças vieram à tona. Lembranças minhas de infância quando cavalgava junto com Tex Willer nas pradarias do oeste americano – coisa que ainda faço até hoje – e lembranças de Sergio nas suas aventuras pelo Brasil – e no Maranhão.

(I just received the news that my friend Sergio Bonelli has died. I say friend because this is how I feel in relation to him. I saw him just a few times but in these short periods many stories were told, many laughs were shared and many memories came to the surface. Memories of my youth when I ride my horse together with Tex Willer in the American west – something I still do – and memories of Sergio’s adventures in Brasil – and in Maranhão.)

Lembro-me muito bem da primeira vez que o conheci, quando ele deixou uma reunião apenas porque soube que uma fã de Tex do Brasil estava na antesala da editora para conhecê-lo. Foi emocionante apertar a sua mão, vê-lo pessoalmente e descobrir que ele ainda falava português. Que pessoa tão grande e tão simples, que conseguiu transformar o Tex criado pelo seu pai em um mito mundial, com a força editorial que possui hoje em dia, principalmente na Itália.

(I remember very well the first time I met him, when he left a meeting because he was told that a Brazilian fan of Tex was waiting for him in the office of Sergio Bonelli Edittore. It was extremely touching to shake his hands, to see him in person and to discover he could speak Portuguese. What a so great and so simple person that changed the Tex created by his father in a international myth, with the strong editorial power that it has nowadays, specially in Italy.)

Que descanse em paz, grande amigo, porque com certeza um grande trabalho deixaste aqui na Terra.

(I hope you rest in peace, great friend, because for sure you left a great work for us here in this Earth.)

Nanda

Posted in fatos | 5 Comments

Se a montanha não vem a Maomé … Maomé vai à montanha (If the mountain will not come to Mahomet… the Mahomet will go to the mountain)

Os holandeses se cansaran de serem os Países Baixos e de gastaram milhares de euros em férias de inverno nas montanhas austríacas e italianas. Um projeto bilionário que já tem seguidores e investidores interessados quer criar uma montanha de 3 km de altura nos polders. Várias opções já foram discutidas: pistas de ski, hotel, túneis. Perguntado se não se trata de algo absurdo, um dos interessados respondeu que a Holanda é acostumada a projetos audaciosos. É só ver o Plano Delta e o próprios polders. Quem sabe no futuro não seremos mais os Países Baixos, mas sim o País da Montanha Encantada.

(The Dutch are tired of being the Low Countries and to spend lots of euros in winter hollidays in the mountains of Autria or Italy. A billionaire project that has already followers and investors wants to raise a 3 km mountain in the polders. Many options have been already discussed: ski areas, hotel, tunnels. When asked if this is not somethign absurd, one of the interested persons said that the Netherlands is used to audacious projects: the Delta Plan and the polders. Who knows if in the future we won’t be called the Low Countries anymore but the Country of the Enchanted Mountain.)

Posted in Uncategorized | Leave a comment

De lá pra cá (From there to here)

Uma das notícias da semana que me chegou aos ouvidos através de um dos meus correspondentes internacionais foi a de que o Japão está devolvendo alguns milhões de dólares que recebeu como ajuda da ONU por ocasião do Tsunami. Aparentemente eles super estimaram as despesas necessárias para reconstrução da parte atingida do país e agora, corretamente, estão devolvendo o excesso recebido. Enquanto isso, no Brasil, os políticos estão preocupadíssimos e pensando seriamente em expulsar a colônia japonesa daquele País. Afinal de contas, essa influência negativa pode se espalhar!!!

(One of the week news that came to my knowledge through one of my international correspondents was that Japan is giving back some million dollars that they received as financial aid from the UN during the Tsunami tragedy. It seems that they over budgeted the necessary expenses to rebuild the country affected area and now, fairly, they are returning the excess. Meanwhile, in Brazil, the politicians are very concerned with this action and are seriously thinking on expelling the Japanese colony from the country. After all, this negative influence can spread out!!!)

E outra notícia que veio das terras tupiniquins foi a de que o subsecretário do Rio de Janeiro, responsável pela introdução da “lei seca” no trânsito, aplicável em todo o estado, atropelou quatro pessoas por dirigir embriagado. É como se diz … em casa de ferreiro, espeto de pau!

(Another news that came from the tupiniquim land is that the sub secretary of Rio de Janeiro, responsible for the introduction of the “Dry Law” for the traffic in the whole state of Rio, override four people while driving under the effect of alcohol. It’s like the saying: The shoemaker’s son always goes barefoot!)

Posted in fatos | 1 Comment

Carrossel (Carousel)

Alguns de vocês talvez já saibam que eu virei uma fã incondicional da série Mad Men. A série retrata uma agência de publicidade nos anos 60 nos Estados Unidos e explora toda uma época, com sua cultura e costumes. Na minha opinião cada capítulo é uma obra de arte de caracterização, diálogos, filmagem, fotografia e música. Não é por menos que ganhou 13 prêmios Emmy e 4 Golden Globes. (Some of you already know that I’m an unconditional fan of the show “Mad Men”. The TV show shows a publicity agency in the 60’s in the USA and it explores an epoch with its culture and habits. In my opinion, every chapter is a piece of art from characterization to dialogues, from photography to music. It’s not for nothing that it won 13 Emmy Awards and 4 Golden Globes.)

Mas, fora tudo isso, – e a presença de John Hamm como ator principal, é lógico, – eu me perguntava porque essa minha empatia tão grande com essa série. A resposta, que já estava na tela o tempo todo, se tornou bem clara no episódio The Wheel (A Roda). Nele, Don Drapper, diretor criativo da agência (Sterling Cooper) apresenta a idéia para a campanha da mais nova invenção da Kodak: o projetor de slides com passador automático redondo. E uma só palavra me deu a resposta que eu queria: nostalgia. (But, beyond all this – and, of course, the presence of John Hamm as main character – I was asking myself why this big empathy with the show. The answer it was already everywhere but it was made clear to me during the chapter The Wheel. There, Don Drapper, creative director of the agency (Sterling Cooper) presents his idea to the new Kodak invention: the round slide projector. And one word gave the answer I was looking for: nostalgia.)

Cada momento da série é uma volta ao tempo, ao meu tempo, com coisas que vi e vivi. O Carrossel da Kodak, como Drapper chama a roda de slides, gira e traz de volta memórias, momentos felizes, tempos em que, a qualquer momento, éramos crianças a brincar no carrossel da vida. Uma magnífica máquina do tempo. (Every moment of the show is a return on time, to my time, with things I’ve seen and lived. The Carousel from Kodak, as Drapper calls the slides wheel, goes round and brings back memories, happy moments, times where, all the time, we were children playing in the life’s carousel. A magnificent time machine)

Eis aqui esse momento divino da séria (infelizmente somente em inglês): (And here is this divine moment of the show:)

http://www.youtube.com/watch?v=suRDUFpsHus

Nanda

Posted in nostalgia | Leave a comment

E Harry Potter é história (And Harry Potter is history)

Eu pensei que algumas coisas só acontecessem no Brasil. Ontem fui assistir a uma maratona Harry Potter: as 2 partes do último filme em uma tacada só, sendo que a segunda parte deveria começar à meia-noite para ter seu lançamento em cadeia nacional.
(I thought that some things only happened in Brazil. Yesterday I went to see a Harry Potter film marathon: the 2 parts of the last film in one go. The last one should have to begin at midnight together with the rest of the country.)

Cheguei para assistir ao filme que começava às 21:30. Na hora marcada, um anúncio: defeito na máquina, no servidor, sei lá onde. Aguardem por tempo indeterminado.
(I came to watch the movie that was scheduled to begin at 21:30. At that time an announcement was heard: deffect in the machine, in the server, whatever. Wait indefinitely.)

22:00 – sem solução! Má notícia: será impossível passar a primeira parte. Boas notícias: vocês serão os primeiros na Holanda a verem a segunda parte que vai começar antecipadamente.
(22:00 – no solution! Bad news: it will be impossible to show the first part. Good news: you will be the first one in The Netherlands to see the second part that will be showed now.)

Para mim a notícia boa se estendeu ainda mais: cheguei em casa à 1 da manhã em vez da esperada 3 da matina e ganhei um ingresso de graça para qualquer outro filme.
(In my case the good news were better: I arrived home earlier – 1 AM instead of 3 AM – and I got a free ticket for any other film.)

Bem, agora Harry Potter é história. A última parte está nos cinemas e a saga do pequeno bruxo acabou. Mas, as modas criadas no decorrer dessa história vão ainda ficar por muito tempo. Como esta aqui: campeonato de Quidditch! E tem que ter aquela vasoura no meio das pernas!!!!
(Well, Harry Potter is history. The last part is all over the world in the cinemas and the saga of the little wizard is finished. But the fashion created alongside this road will stay for a long time. Like this one: Quidditch championship! And… you have to keep that broom between your legs!!!)

Nanda

Posted in curiosidades | Leave a comment

Comida na parede (Food in the wall)

Primeiro foi nos Estados Unidos e agora a mania holandesa promete tomar conta do Brasil. Um empresário brasileiro copiou o modelo holandês e abriu em São Paulo a Quickies, uma loja de snack bar que serve, como na Holanda, croquetes na parede e batatas fritas com maionese.
(First it happened in the USA and now the Dutch mania has invaded Brasil. A businessman has copied the Dutch model and opened in São Paulo the Quickies, a snack bar that serves, as in Holland, croquets in the wall with french fries and mayo.)

O croquete holandês é feito de uma espécie de ragu de carne frito e a idéia da Quickies, cópia da cadeia holandesa Febo, é que a pesoa se sirva através de um sistema automático instalado na parede. Como as máquinas de refrigerante, insere-se a quantia necessária e uma portinhola se abre liberando o croquete e outras guloseimas parecidas.
(The Dutch croquet is made of pressed and fried meat and the idea of Quickies, a copy of the Dutch chain Febo, is that you help yourself through an automatic system installed in a wall. Like the soda machines, a coin is inserted and a door opens liberating the food.)

Por enquanto a idéia é novidade e tem lugar em São Paulo, mas eu me pergunto se a sociedade narcisista brasileira vai substituir os sanduíches naturais pelas frituras e batatas com maionese holandesas!
(So far it’s news and is located in São Paulo, a cosmopolitan city, but I wonder if the Brazilian narcissistic society will replace the natural sandwiches for the fried snacks and Dutch potatoes with mayo!)

Nanda

Posted in culinaria, curiosidades | Leave a comment

Curtas (Short ones)

“Quem não gosta de samba, bom sujeito não é. É ruim da cabeça, ou doente do pé.” Mesmo sem conhecer o samba de Dorival Caymmi foi essa a jutificativa que os jogadores da seleção holandesa deram ao se verem em várias páginas da internet e jornais em fotos delicadas com algumas brasileiras em uma boate do Rio de Janeiro. E para demonstrar a maneira holandesa de pensar, uma das esposas disse, ao ver as fotos, que seu marido estava somente se divertindo e que ela também faz o mesmo.
(“If you don’t like samba, you can’t be a good person. Or you have a problem in your head or a problem in your feet.” Even without knowing the samba from Dorival Caymmi this was the excuse that the football players of the Dutch team gave when they saw themselves around the world in compromising photos spread on internet and newspapers while dancing with some Brazilian girls in a nightclub in Rio de Janeiro. To demonstrate the Dutch way of thinking, one of the spouses said simply that her husband was having fun and she does the same.)

—–

Ao andar em Amsterdam, olhe de vez em quando para o alto, pois pode chover australiano. Nestes dias saiu o veredito de culpa para um australiano que, cheio de maconha, se atirou de uma janela para a rua e caiu em cima de um turista brasileiro. A situação seria cômica se não fosse trágica. A vítima quebrou uma vértebra do pescoço e ficou paraplégica. O australiano não sofreu nada, mas pegou três meses de cadeia e terá que pagar uma indenização de alguns milhares de euros para o brasileiro.
(When walking in Amsterdam look up every now and then, because it can rain Australian. This week was pronounced the final verdict for an Australian that, with the head full of canabis sativa, jumped through a window and fall in the head of a Brazilian tourist. The situation would be funny if it was not tragic. The victim had a spine injury and is condemned to a wheelchair the rest of his life. The Australian got out safe, but had to spent three months in jail and pay a thousands euros compensation to the Brazilian.)

—–

Um mistério adormecido por 65 anos foi revelado pela carta de confissão da sra. Atie Ridder-Visser, ao prefeito de Leiden. A sra. Rider-Visser, hoje com 97 anos, foi membro da resistência holandesa e, em 1946, assassinou Felix Guljé, no vestíbulo da sua casa, por considerá-lo culpado de contribuir com os nazistas que então ocupavam a Holanda. Posteriormente foi descoberto que Guljé era inocente e que até contribuía para salvar pessoas das mãos dos nazistas. Segundo o prefeito de Leiden, a sra. Ridder-Visser, apesar de sua idade avançada, ainda pode ser julgada e condenada pelo crime perpetrado há 65 anos atrás.
(A mystery, sleeping for 65 years, was revealed by the confession letter that Mrs. Atie Ridder-Visser sent to the Mayor of Leiden. Mrs. Ridder-Visser, today with 97 years, was a member of the Dutch resistance and, in 1946, killed Feliz Guljé, in the hallway of his own house, for considering him guilty of contribution to the nazis, that occupied The Netherlands. Later it was discovered that Guljé was innocent and even helped save some people from the Nazi’s hands. According to the Mayor of Leiden Mrs. Ridder-Visser, notwithstanding her advanced age, can still be judged and condemned by the crime she did 65 years ago.)

—–

Peladão, peladão, pelas ruas de Amsterdão. A Corrida Nua Anual de Bicicletas aconteceu este sábado em Amsterdam. Milhares de ciclistas percorreram as ruas da cidade, que já é louca por si só, completamente nus em um ato de protesto às agressões ambientais. Considerando as fotos que vi não sei se eles não estariam contribuindo para essas agressões.
Naked, naked, around the streets of Amsterdam. The Annual Naked Bike Race happened this Saturday in Amsterdam. Thousands cyclists ride their bikes in Amsterdam – that is an already crazy enough city – completely naked as a protest against environmental aggression. Well, considering the photos I saw I’m not sure if they are not helping these aggression.)

E é só,
(And that’s all, folks)
Nanda

Posted in curiosidades, fatos | 1 Comment

Os britânicos e as cervejas (The British and the beers)

O que os britânicos não fazem por uma cerveja? Em virtude de uma falta no sistema de computadores, uma rede de supermercados britânica anunciou erradamente que três grades de cerveja estavam sendo vendidas a 11 libras, em vez de 11 libras de desconto na compra das cervejas… um pequeno mal entendido que durou somente duas horas para ser detectado e resolvido.
(What the British do for a beer? A mistake in the computer system of a British supermarket chain announced wrongly that they were selling three crates of beer for 11 pounds, instead of 11 pounds discount for the crates… a small misunderstanding that took only two hours to be detected and solved.)

Mas duas horas foi o que milhares de britânicos precisaram para causar o maior tumulto e as mais estranhas artimanhas para adquirir as cervejas mais barato. Via Facebook e Twitter os consumidores souberam da notícia e geraram o maior caos nos estacionamentos e nas filiais dos supermercados em busca do líquido precioso. Alguns chegaram até a voltar para casa, trocar de roupa e retornar para comprar mais grades!
(But two hours was what thousands of British needed to provoke to biggest riot and to create the most strange tricks to get the cheap beers. Via Facebook and Twitter the news spread and lots of consumers generate the biggest chaos in parking places and in the supermarket stores to get the cheap precious liquid. Some of them even return home to change clothes and get back to buy some more crates!)

Pois é, britânicos e cervejas, uma história de amor eterno… e tumultuada! (That’s it! British and beers, an eternal love story … and a tumultuous one!)

Nanda

Posted in Uncategorized | Leave a comment